Açúcar em excesso e câncer de mama

acucar

Açúcar em excesso e câncer de mama: entenda melhor essa relação

Não é segredo para ninguém que a ingestão excessiva de açúcar contribui para a obesidade e outras complicações de saúde. Além disso, esse item alimentar tão presente na nossa cozinha já foi relacionado ao surgimento de cânceres, inclusive ao de câncer de mama.  

Um novo estudo conduzido por pesquisadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, reforçou os resultados de pesquisas anteriores sobre o impacto do excesso de açúcar no desenvolvimento do câncer de mama e, de forma inédita, avaliou os mecanismos de ação da doença por meio de análises em grupos de ratos.

Durante os testes, os cientistas passaram a alimentar cada grupo de ratos com base em três tipos de dietas: dieta rica em sacarose, dieta rica em frutose e dieta com controle de sacarose e frutose.

De acordo com os pesquisadores, a quantidade de sacarose e frutose que os primeiros grupos de ratos consumiram foi comparável à encontrada nas típicas dietas ocidentais – caracterizadas pela alta ingestão de açúcares refinados, gordura saturada e carne vermelha, e baixa ingestão de frutas e vegetais frescos e cereais integrais.

Após seis meses, cerca de 58% dos ratos que seguiram as dietas ricas em sacarose e em frutose desenvolveram câncer de mama, enquanto que 30% dos ratos que receberam uma dieta mais balanceada tiveram tumores.

Além disso, os animais que receberam uma dieta enriquecida em sacarose e frutose tiveram significativamente mais tumores nos pulmões do que aqueles alimentados a partir de uma dieta de controle, o que sugere que a ingestão excessiva de açúcar acelera o processo de metástase do câncer de mama.

No entanto, vale ressaltar que o estudo está em fase de testes em animais e as metodologias ainda não foram testadas em humanos, o que é imprescindível para comprovar os resultados indicados.

A importância do açúcar

Existem vários tipos de açúcar: sacarose, que utilizamos no dia a dia e que está presente em alimentos como massas, pães, refrigerantes, etc; a frutose, presente nas frutas; e a lactose, que está no leite.

A ingestão desses açúcares os transforma em glicose, que é o principal combustível das células do nosso corpo. Quando falta glicose, apresentamos sintomas nada agradáveis, decorrentes da hipoglicemia, como suor frio, tonturas, tremedeiras, entre outros.

Portanto, o açúcar é um componente essencial para o bom funcionamento do nosso organismo. No entanto, o seu consumo em excesso é o que prejudica a saúde. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo ideal de açúcar (sem contabilizar o consumo de frutose e lactose) deve ser no máximo 50 gramas por dia, o que corresponde a menos de 10% das calorias diárias.

Que tal repensar seus hábitos diários? Uma dica para saber a quantidade de açúcar presente nos alimentos é sempre ler atentamente os rótulos dos produtos e fazer as contas! Opte também pelos alimentos naturais ao invés dos processados.