Como se preparar para a mamografia

mamografia

A mamografia é o exame mais indicado para detectar o câncer de mama. Apesar do desconforto que possa causar em algumas mulheres, ele é essencial para o diagnóstico precoce da doença, aumentando as chances de cura. O exame leva, em média, cerca de 20 minutos para ser realizado.
Para as mulheres que não pertencem aos chamados grupos de risco, ou seja, aquelas sem histórico familiar da doença, a indicação é de que o exame seja feito a partir dos 40 anos de idade, anualmente. Para aquelas cujas mãe, tias ou avós já tiveram câncer de mama ou outros tipos de câncer, a indicação é de que o exame comece a ser realizado mais cedo. O importante é não deixar de fazê-lo.

Algumas dicas podem ajudar você a ficar mais tranquila durante a mamografia, o que ajuda os resultados a serem mais precisos, sem a necessidade de refazer as imagens.

1 – Peça ao seu médico indicações de locais mais adequados para fazer o exame, pensando no tempo de espera, no conforto, na agilidade para entrega dos resultados e na confiabilidade.
2 – Procure fazer a mamografia duas semanas antes ou duas semanas depois do seu período menstrual, quando as mamas estão menos doloridas. Caso você esteja amamentando, tenha uma lesão recente na mama ou infecção mamária, pergunte ao médico qual o momento mais indicado para realizar o exame para que você não sinta nenhum desconforto.
3 – Durante o exame, peça ao profissional responsável para ajustar a velocidade com que os seios são comprimidos. Outra dica é respirar lenta e profundamente – isso vai fazer com que você fique menos tensa.
4 – Leve sempre os exames anteriores. Isso ajuda o radiologista a comparar as alterações mamárias ao longo do tempo. Caso você não os tenha guardado, solicite uma cópia ao laboratório onde você realizou a mamografia anteriormente.
5 – Antes do exame, mantenha-se hidratada e evite usar desodorante no dia do procedimento, pois ele pode interferir no resultado.
6 – Converse com o o radiologista ou técnico antes de iniciar a mamografia. Diga se há histórico da doença na família, se você já realizou outros exames ou biópsias, se observou algum problema nas mamas, se realizou cirurgias, se tem próteses mamárias ou alergias na pele.
7 – Discuta o resultado do exame com o seu médico. Lembre-se de perguntar se a mamografia mostrou alguma alteração nas mamas, se é necessário fazer exames de acompanhamento, quando agendar o próximo exame e o que você pode fazer para reduzir as chances de desenvolver a doença.
8 – Caso o exame apresente alguma alteração, procure ficar tranquila. Algumas vezes, a mamografia pode dar um resultado falso-positivo; além disso, nem toda alteração na mama significa câncer. Para afastar a possibilidade da doença, o médico pode pedir outros exames, como ultrassom, outra mamografia, ressonância magnética ou mesmo uma biópsia.     
O importante é realizar os exames que o seu médico pedir, respeitando a periodicidade com que eles devem ser feitos. O diagnóstico precoce ainda é a melhor maneira de combater a doença.