Consumo diário de vinho pode aumentar o risco de câncer de mama

vinho_mulher

Muito se fala dos benefícios que uma taça de vinho por dia pode trazer ao coração. Mas no caso do câncer de mama, infelizmente, pode ser um problema. Um estudo realizado pelo Instituto Americano de Pesquisa do Câncer (AICR, da sigla em inglês para American Institute for Cancer Research), sugere que o consumo diário de álcool, seja de vinho ou de qualquer outra bebida, pode aumentar bastante os riscos de câncer de mama.

Existem vários fatores que podem aumentar a probabilidade de uma mulher desenvolver a doença, como idade avançada, menarca (primeira menstruação) precoce e histórico de câncer de mama na família – todos fatores que não podem ser controlados. Mas há também os fatores de risco relacionados ao estilo de vida, e dependendo de quais são eles, podem aumentar ou reduzir o risco da doença se desenvolver.

Esse novo estudo, que reuniu dados clínicos de 12 milhões de mulheres e 260 mil casos de câncer de mama, avaliou vários fatores de risco para o câncer de mama, incluindo álcool, dieta e peso. E os resultados mostraram que se uma mulher ingerir um copo pequeno de vinho ou cerveja todos os dias, pode ser uma candidata à doença. Se estiver na pré-menopausa, esse risco é de 5%; se já estiver na menopausa, esse número quase dobra, chegando a 9%. Vale lembrar que a maioria dos casos de câncer de mama ocorre nessa etapa da vida.

Uma das possíveis causas para o álcool se tornar um vilão na vida da mulher é porque ele aumenta o nível do hormônio estrogênio. A exposição cumulativa excessiva ao estrogênio é um fator de risco importante no câncer de mama. Uma série de estudos tem mostrado que o álcool pode aumentar as ações do estrogênio nas células de câncer de mama.

Além disso, o relatório confirmou o que todos já sabem – que o excesso de peso e a obesidade também aumentam os riscos. Mas o exercício físico praticado de forma moderada à vigorosa pode manter a mulher afastada da doença. As mulheres que se mantinham ativas na pré-menopausa tinham diminuído em 17% os riscos do câncer de mama. Na pós-menopausa, a redução das chances também foi expressiva – cerca de 10%, em comparação com as mulheres menos ativas. Mães que amamentam estão em menor risco de câncer de mama.

Dieta saudável x câncer de mama

O estudo também avaliou a alimentação das mulheres. E descobriu que vegetais sem amido, como repolho, couve-de-bruxelas, alho poró, espinafre e brócolis podem diminuir o risco do câncer de mama receptor de estrogênio negativo, um tipo mais raro da doença.

Além disso, dietas ricas em produtos lácteos, cálcio e carotenoides também ajudam na prevenção. Os carotenoides são pigmentos sintetizados por plantas, que geralmente representam a cor amarela, laranja ou vermelha. Na lista de alimentos encontram-se abóboras, damascos, pimentões e cenouras, por exemplo.

Resumindo, ter um estilo de vida fisicamente ativo, manter um peso saudável e limitar o consumo de álcool não garantem que você não terá a doença, mas pode ajudar a evitá-la. E aqui vão algumas dicas:

– Atividade física: evolua sempre; a cada dia, exija um pouco mais do seu corpo e tente superar seus limites. A atividade precisa ser vigorosa.
– Alimentação: substitua frituras e comidas gordurosas por saladas verdes, pimentões e cenouras.
– Bebida alcoólica: pode beber, mas com moderação.