Fisioterapia é fundamental na reabilitação de pacientes com câncer de mama

img12

Fisioterapia é fundamental na reabilitação de pacientes com câncer de mama

A fisioterapia tem desempenhado um importante papel na prevenção de possíveis complicações e reabilitação de pacientes mastectomizadas, independentemente do tipo de cirurgia.

Com atuação no pré e pós-operatório, um programa de fisioterapia acompanha a paciente desde o período de preparação para a cirurgia com o objetivo de avaliar possíveis fatores de risco para complicações pós-operatórias. O acompanhamento nessa fase é importante para reduzir o tempo de internação e permitir que a paciente volte a realizar suas tarefas mais rapidamente.

Já no período pós-operatório é comum ter dificuldades para movimentar os braços e sentir dores, além de sensações de formigamento e dormência. Por esse motivo, o foco do profissional de fisioterapia é nas complicações respiratórias, circulatórias e motoras, minimizando a dor e prevenindo a formação de linfedema (inchaço crônico), complicações nas cicatrizes, entre outras.

O fisioterapeuta poderá utilizar diferentes métodos na reabilitação da paciente que incluem manobras de drenagem linfática manual, exercícios respiratórios, exercícios de alongamento global e fortalecimento muscular, reeducação postural global (RPG) para melhorar a postura, entre outras técnicas, sempre de acordo com as características de cada paciente.

Muitos locais trabalham até com jogos de vídeo games adequados à reabilitação física que, de forma lúdica, trabalham os movimentos e promovem a integração social.

Dessa forma, é importante que a fisioterapia oncológica seja vista como uma ferramenta essencial para a independência funcional e qualidade de vida da paciente com câncer de mama.