Praticar atividade física após cirurgia de câncer de mama melhora capacidade cognitiva

post_silvio

Problemas de memória, de concentração e dificuldade para processar informações costumam afetar as mulheres anos depois do tratamento do câncer de mama, prejudicando a qualidade de vida; muitas delas têm dificuldade para realizar algumas tarefas simples sozinhas. Mas a atividade física de intensidade moderada a vigorosa, mais uma vez, mostrou que pode ajudar; dessa vez, a melhora foi observada na capacidade cognitiva das pacientes.
Entre os domínios cognitivos examinados nas participantes de um estudo publicado no mês de setembro na revista científica Cancer, os pesquisadores notaram melhorias significativas naquelas que realizaram atividades físicas. Os dados mostraram uma associação entre a quantidade de exercício e o grau de melhoria nos níveis de cognição. E não foi preciso muito; 15 minutos a mais na rotina diária de atividades físicas resultou em um aumento médio de três pontos nos testes objetivos de cognição e em uma diminuição de 10,2 pontos nos relatos da própria paciente sobre as dificuldades de concentração e problemas de memória que ela dizia perceber.

Mas o resultado ficou ainda melhor. Trinta minutos a mais por dia na rotina de exercícios foi associado a um aumento médio de 0,84 ponto naquilo que os médicos chamam de inteligência fluida, ou seja, a capacidade que a pessoa tem de pensar e raciocinar de maneira abstrata, e a um aumento médio de 1,3 ponto no teste em que foi usada uma sequência de imagens para avaliar a memória.

 

Para o estudo, os pesquisadores dividiram as mulheres em dois grupos. As do primeiro foram incluídas em um programa de atividade física adaptado aos seus interesses e habilidades; já as mulheres do segundo grupo receberam informações por e-mail sobre temas relacionados à saúde feminina, alimentação saudável, redução do estresse e saúde mental geral.

 

A idade média das pacientes foi de 57 anos e as participantes foram diagnosticadas com câncer de mama em média dois anos e meio antes do início do programa de atividade física. Sessenta e um por cento delas tinham câncer de mama em estágio I, 53% receberam quimioterapia e 70% estavam recebendo inibidor de aromatase ou tamoxifeno.

 

O estudo durou 12 semanas. Nesse período, todas as participantes receberam um acelerômetro nos primeiros sete dias, e depois, nos últimos sete. Aquelas que estavam no grupo de exercicios usaram também um rastreador de atividades e foram orientadas a realizar pelo menos 150 minutos de atividade física de moderada a vigorosa por semana.

 

No geral, essas mulheres, que antes de iniciar o programa eram sedentárias, aumentaram sua quantidade de atividade física semanal em cerca de 100 minutos. Mas os benefícios só foram vistos naquelas que começaram a praticar exercícios até dois anos depois da cirurgia; quem passou pelo procedimento a mais tempo que isso não apresentou melhoria nenhuma.

 

Os pesquisadores acreditam que o quanto antes a mulher começar a se exercitar, mais vantagens ela terá.Vale lembrar que os  exercícios também ajudam a manter a composição corporal adequada (ou seja, a distribuição entre músculos, gordura e ossos no corpo), a diminuir a perda de massa muscular e a manter o coração funcionando bem, além de melhorar a autoestima. Converse com o seu médico sobre a atividade física mais adequada para você.