Teste genético

img44

Teste genético pode eliminar necessidade de quimioterapia para câncer de mama inicial

Um estudo publicado no The New England Journal of Medicine mostrou que o Oncotype DX é eficaz para indicar quais mulheres em estágio inicial do câncer de mama não serão beneficiadas com a quimioterapia.  Os resultados foram apresentados recentemente no Congresso Europeu de Câncer 2015, que aconteceu em Viena, na Áustria. De acordo com os autores, este é primeiro ensaio clínico no tratamento de pacientes com câncer de mama em estágio precoce com base nos resultados do Oncotype DX.

O Oncotype DX é um teste genético que avalia 21 genes relacionados com o crescimento e com a disseminação do câncer de mama. Atualmente, o exame é indicado para pacientes que apresentam tumores com receptores hormonais positivos. O principal objetivo é dar o prognóstico do risco da recidiva e a necessidade ou não do tratamento quimioterápico. Quando o Oncotype DX revela que o tumor possui risco baixo de voltar, a quimioterapia pode deixar de ser realizada. O teste produz uma pontuação de 0 a 100 e quanto maior, mais alto é o risco de recidiva.
O estudo foi realizado com 10.273 mulheres com idades entre 18 e 75 anos, com câncer de mama em estágio inicial e tumores do tipo receptores hormonais positivos. Estima-se que a cada três casos de câncer de mama, dois são receptores hormonais positivos. As mulheres que são diagnosticas com esse tipo de tumor, normalmente, são submetidas à cirurgia, seguida por tratamento hormonal e, em muitos casos, quimioterapia. Porém, algumas dessas pacientes podem não precisar da quimioterapia e atualmente não há uma maneira segura de determinar quais mulheres poderiam evitar com segurança o tratamento quimioterápico.

De acordo com os pesquisadores, alguns estudos anteriores com o Oncotype DX já haviam mostrado que o teste poderia ser uma ferramenta útil para os médicos evitarem a quimioterapia em algumas pacientes e o objetivo desse estudo foi validar ainda mais esses resultados.

Usando o Oncotype DX, foi possível descobrir que 16% das participantes do estudo apresentavam baixo risco de recorrência do câncer de mama; 67% risco intermediário e 17% risco alto. As de baixo risco foram tratadas com terapia hormonal; as de risco intermediário com terapia hormonal e/ou quimioterapia; e as de alto risco com terapia hormonal e quimioterapia.

Até o momento, 99% das mulheres com baixo risco de recorrência e tratadas apenas com terapia hormonal não apresentaram recidivas do tumor em um prazo de cinco anos. Além disso, a taxa de sobrevida em 5 anos foi de 94% e a chance de metástase foi de menos de 1%.

Com base nesses resultados, os pesquisadores concluíram que as mulheres que são diagnosticadas em estágio inicial do câncer de mama do tipo receptor hormonal positivo não se beneficiam da quimioterapia e que o Oncotype DX é uma ferramenta eficaz para determinar quais pacientes não são elegíveis para a quimioterapia.

Sem dúvidas esse estudo é mais uma amostra da importância do tratamento individualizado do câncer de mama. Vale lembrar que o teste ainda não é feito no Brasil, porém alguns laboratórios contam com parcerias para a realização do exame nos Estados Unidos. Embora o custo seja alto, é importante pensar no benefício de se evitar um tratamento agressivo como a quimioterapia e de alto custo para o Governo ou para os planos de saúde.