Teste genômico e a quimioterapia

teste-genomico

Teste genômico pode reduzir o uso da quimioterapia

A quimioterapia traz uma série de efeitos colaterais, que vão da queda de cabelo até problemas renais e digestivos. Mas com a evolução dos tratamentos para o câncer de mama, nem todas as mulheres podem precisar dela. E quem tem ajudado a definir isso são os testes genômicos, que analisam os genes relacionados com o crescimento e a disseminação do câncer de mama.

O mais conhecido e utilizado é o Oncotype DX, indicado para pacientes que apresentam tumores com receptores de estrógeno positivos, que tenham sido diagnosticadas com câncer de mama invasivo em estágio I ou II e que não tenham tido os nódulos linfáticos atingidos pela doença.

Já foram realizados vários estudos com o Oncotype DX e os resultados mostram que o exame, quando combinado com outras informações, como tamanho e grau do tumor, idade da paciente e presença de outras doenças, ajuda o médico a avaliar as chances de recidiva da doença e a necessidade, ou não, de iniciar um tratamento quimioterápico. E essa é uma das grandes vantagens do teste, pois pode evitar que uma paciente seja exposta aos efeitos da quimioterapia sem necessidade.

 Como funciona o Oncotype DX

O Oncotype DX analisa a atividade de 21 genes que pode influenciar a probabilidade de um novo câncer se desenvolver. Ele é tanto um teste prognóstico, que fornece informações sobre a possibilidade de o câncer voltar, quanto um teste preditivo, que ajuda na decisão pelo melhor tratamento.

O resultado é apresentado em um sistema de pontuação que aponta se o risco de recorrência do câncer é baixo, intermediário ou elevado, dentro de um período de dez anos após diagnosticada a doença. Se essa pontuação mostrar um risco elevado, a quimioterapia é a melhor opção de tratamento, pois mesmo com os efeitos colaterais ela trará benefícios para a paciente. Se o risco apontado for considerado baixo, o tratamento mais indicado é o feito com terapia hormonal, sem necessidade de quimioterapia.

Disponibilizado no Brasil há alguns anos, o teste é realizado com uma pequena quantidade de tecido extraído durante a cirurgia ou biópsia da mama, ou seja, não é preciso se submeter a nenhum outro procedimento para realizar o exame. Segundo alguns estudos, em mais de 35% dos casos o resultado do Oncotype DX permitiu que a opção de tratamento escolhida pelo médico fosse alterada.

Escolher o tratamento que melhor lhe convém é importante e você precisa avaliar os riscos e os benefícios da quimioterapia junto com o seu médico para tomar a decisão mais acertada.