Estatinas podem reduzir o risco de morte por câncer de mama

estatina

As estatinas são consideradas o tratamento padrão contra o colesterol. E, de acordo com uma pesquisa apresentada recentemente no encontro anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, em Chicago, nos Estados Unidos, elas podem trazer ainda outros benefícios à saúde, como reduzir o risco de morte por câncer de mama em até 38%.

Os pesquisadores chegaram a essa conclusão depois de revisar sete estudos que reuniram mais de 197 mil participantes que utilizaram estatinas após terem recebido o diagnóstico de câncer de mama. Mas, os benefícios foram percebidos nas mulheres que usaram as estatinas lipofílicas – uma variação do medicamento – por menos de quatro anos. Para aquelas que usaram o medicamento por mais tempo, o risco de morte caiu para 16%.

Segundo os pesquisadores, isso acontece porque as estatinas são capazes de reduzir a mortalidade de mulheres com câncer de mama.
Já o efeito benéfico pode ser resultado de uma melhora nas defesas do corpo. Os pesquisadores acreditam que as estatinas lipofílicas penetram na membrana celular com mais facilidade, e já foi comprovado, por meio de outros estudos, que essas membranas têm implicações positivas no sistema imunológico, o que ajuda no combate às células cancerosas.

Mas as evidências ainda não são conclusivas, e novos estudos precisam ser realizados, dizem os especialistas, pois é bem possível que irá valer a pena considerar o medicamento como uma opção de tratamento para o câncer de mama no futuro.