Exercício físico ajuda a diminuir a fadiga e a melhorar as funções cognitivas em pacientes com câncer de mama

caminhada

Uma caminhada rápida de dez minutos todos os dias pode ajudar as pacientes com câncer de mama e sobreviventes a combater a fadiga e as deficiências cognitivas, como problemas de memória e dificuldade de concentração, comuns a quem passa pela quimioterapia.

Pesquisadores da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, chegaram a essa conclusão depois que analisaram a associação entre a atividade física, a fadiga e o desempenho em tarefas cognitivas em quase 300 pacientes que sobreviveram à doença. As participantes usaram um acelerômetro por sete dias consecutivos para medir sua atividade física diária e completaram uma série de questionários e atividades através de um aplicativo para iPad projetado para medir a memória, as habilidades de atenção e as funções executivas, responsável pela execução e pelo planejamento de tarefas.

Os dados, publicados na revista científica Breast Cancer Research and Treatment, mostraram uma associação entre o efeito da atividade física sobre a fadiga e o efeito desta na melhoria da função cognitiva.

Fadiga, problemas de memória, redução da capacidade de atenção e de resolução de problemas são sintomas comuns relatados pelas pacientes com câncer. A sugestão dos pesquisadores é que tanto as mulheres que estão em tratamento quanto as que já terminaram, se mantenham ativas, mesmo que os exercícios possam causar um pouco de cansaço.

Embora os benefícios sejam muitos, lembre-se de que é preciso ter cuidado redobrado durante os exercícios. O ideal é fazer 150 minutos de atividade física ao longo da semana, dividindo esse tempo entre exercícios aeróbicos e de resistência muscular. Por isso, antes de começar, converse com o seu médico, pois ele é quem pode dizer o que é mais adequado para você.