Gene defeituoso protege latinas contra câncer de mama

img59

Gene defeituoso protege latinas contra câncer de mama

Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, e publicado recentemente no periódico Nature Communications, comprovou que uma mutação genética presente no DNA de mulheres latinas com ascendência indígena é capaz de protegê-las contra o câncer de mama, principalmente das formas mais agressivas da doença. 

Isso mostra que nem sempre uma mutação genética representa um problema de saúde. O estudo analisou o DNA de cerca de 4 mil mulheres com câncer de mama e de 9 mil que nunca tiveram a doença, sendo a maioria latinas. A mutação genética foi encontrada em cerca de um quinto das mulheres avaliadas e reduz de 40 a 80% o risco de desenvolver o câncer de mama, principalmente dos tumores mamários mais agressivos.

Para as brasileiras pode ser uma boa notícia, já que gene protetor foi encontrado em mulheres latinas, com ascendência indígena e cerca de 61% dos brasileiros considerados “brancos” têm em seu DNA herança genética afrodescendente ou indígena.

Segundo o estudo, uma em cada cinco latinas tem uma variação em uma das cópias de determinado gene, o que diminui as chances de câncer de mama em 40%. Além disso, 1% das mulheres avaliadas possui a mutação em ambos os genes e têm um risco 80% menor de desenvolver a doença.

Esses dados são muito interessantes e mostram que a ascendência influencia muito no perfil do câncer de mama. Esse estudo mostrou um risco menor nas latinas. Já o estudo “Jewels in our Genes”, também feito nos Estados Unidos, revelou que as mulheres afrodescendentes possuem uma mutação que aumenta o risco de câncer de mama.

Os resultados desse estudo contribuem para explicar a menor incidência de câncer de mama na população feminina latina. Segundo o Instituto Nacional do Câncer nos Estados Unidos, o risco de desenvolver um tumor mamário é de 13% entre as mulheres brancas, 11% entre as afrodescendentes e de 10% ou menos entre as latinas.

Como eu já afirmei em artigos anteriores, não é possível alterar a genética. Por isso, a melhor maneira de prevenir o câncer de mama ainda é a prevenção. Portanto, é fundamental ter uma vida saudável e realizar os exames, como a mamografia, regularmente. 

Lembre-se: Não se pode mudar a genética, mas a sua saúde só depende de você, cuide muito bem da dela.