Pequenas mudanças de hábito podem prevenir o câncer de mama

imh8

Pequenas mudanças de hábito podem prevenir o câncer de mama

Diversos fatores podem fazer com que uma mulher seja mais propensa ou não a desenvolver o câncer de mama. Herança genética, idade avançada, não ter tido filhos, primeira gestação depois dos 30 anos, anticoncepcionais e menopausa tardia são alguns deles. Mas a adoção de um estilo de vida mais saudável pode influenciar na prevenção da doença. 

Muitas pessoas desconhecem a relação entre câncer e hábitos saudáveis e acabam se preocupando mais com a questão genética, que não tem controle – vale lembrar que nem toda pessoa que herda uma predisposição genética terá a doença. Não basta ter tido um parente com câncer para concluir que a doença é hereditária; muitos casos de câncer podem ser decorrentes da idade e de maus hábitos no decorrer da vida.

De acordo com estudos realizados por pesquisadores da Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health, nos Estados Unidos, e publicado recentemente no JAMA Oncology, 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de algumas atitudes simples no dia a dia, como evitar o uso de álcool e cigarro, manter o peso sob controle e praticar exercícios físicos. Outro fator que pode ajudar a mulher a se prevenir é evitar as terapias de reposição hormonal, muito comuns após a menopausa.

A boa notícia que a pesquisa traz é que mesmo mulheres com alto risco de desenvolver a doença ao longo da vida – que têm casos de câncer de mama na família – também podem evitá-la buscando uma rotina mais saudável, por isso, quanto mais cedo elas reavaliarem certos hábitos e fazerem mudanças, mais chances de evitar a doença.

Seguir uma dieta rica em alimentos de origem vegetal com frutas, verduras e legumes e pobre em gordura animal pode diminuir o risco de desenvolver o câncer de mama. Além disso, a prática de exercícios físicos deve ser incluída na rotina, pois o ganho de peso em mulheres acima dos 60 anos geralmente está associado à doença.

A adoção de um estilo de vida mais saudável e a realização periódica de exames ainda são as principais armas no combate à doença.