Fumar aumenta riscos de complicações da radioterapia

smoking

Além de causar muitas doenças e aumentar o risco de câncer de mama, fumar pode também aumentar as complicações da radioterapia, segundo um novo estudo publicado no Journal of Clinical Oncology. A pesquisa mostrou que a radioterapia nas pacientes com câncer de mama pode ter menos efeitos colaterais nas não-fumantes do que nas mulheres que fumam. As que mantêm o hábito de fumar tiveram riscos maiores de desenvolver câncer de pulmão ou doença cardíaca como resultado do tratamento.

Segundo os pesquisadores do departamento de Saúde da População da Universidade de Oxford, no Reino Unido, que estudaram casos de mais de 40 mil mulheres, para as fumantes de longa data os riscos da radioterapia podem superar os benefícios do tratamento. Mas, para quem abandonou o cigarro ou nunca fumou, os benefícios superam em muito os riscos. A diferença é significativa: para as mulheres que não fumavam, o risco de morte foi de 0,5%; mas para as fumantes, esse número subiu para 5%.

A indicação dos médicos é para que as pessoas evitem o cigarro pelo menos durante o tratamento radioterápico, caso não consigam abandonar o vício totalmente, para que sejam reduzidas as chances de surgir um novo câncer, dessa vez de pulmão. Os números mostram que quanto antes se abandona o cigarro, menos chances de adoecer. As estatísticas apontam que as mulheres que fumam durante a idade adulta têm aproximadamente vinte vezes mais chances de ter câncer de pulmão e quatro vezes mais chances de ter uma doença cardíaca do que as que não fumam.

Os riscos de uma mulher com câncer de mama vir a ter câncer de pulmão como consequência da radioterapia são pequenos, graças às técnicas mais modernas que garantem que a radiação seja direcionada apenas para o tumor, atingindo muito pouco os órgãos mais próximos, mas para quem fuma, eles passam a ser significativos.

Se você fuma e foi diagnosticada com câncer de mama, considere o seguinte: fumar aumenta o risco de câncer de mama e de pulmão; pode causar doenças pulmonares, além do câncer, e doenças cardiovasculares; e a combinação cigarro-radioterapia pode aumentar drasticamente o risco de câncer de pulmão.

Pode ser muito difícil parar de fumar. Mas abandonar o cigarro pode fazer uma grande diferença na sua saúde e bem-estar, agora e no futuro.