Obesidade eleva risco de câncer

img84

Um estudo, publicado recentemente na revista científica The Lancet, comprovou, mais uma vez, a relação da obesidade com o câncer. Os pesquisadores analisaram informações de saúde de mais de 5 milhões de pessoas. Os achados mostraram que a obesidade aumenta os riscos para 10 dos 22 tipos mais comuns de câncer, entre eles o câncer de mama.

Quando o índice de massa corporal (IMC) aumenta em 5 kg/m², há um aumento de 62% no risco de câncer do útero, de 31% para o câncer de vesícula, de 25% para os rins, de 10% para o câncer de colo do útero e de 9%, tanto para o câncer de tireoide quanto para a leucemia. O estudo mostrou também a influência da obesidade no aparecimento de câncer colorretal, fígado, ovários e mamas.

O tema não é novo e já foi abordado por mim aqui no blog algumas vezes. Estima-se que as mulheres obesas têm 20% de chances a mais de desenvolver o câncer de mama no período logo após a menopausa, quando comparadas com as que se encontram dentro da faixa normal de peso.

Um estudo realizado com 350 mil mulheres, mostrou que a probabilidade de desenvolver o câncer de mama aumenta nas mulheres com o índice de massa corpórea (IMC) maior. Outro estudo, realizado na Dinamarca, considerado o maior do mundo, acompanhou 18.967 pacientes de câncer de mama e constatou que mulheres na menopausa, com IMC maior que 30, apresentaram tumores maiores, mais agressivos e com comprometimento mais extenso dos linfonodos da axila.

Além disso, o risco de metástases em órgãos distantes teve relação direta com o ganho de peso: 10 anos após a cirurgia, mulheres acima do peso apresentaram mortalidade 46% maior quando comparadas às mulheres com peso normal.

Uma das explicações em relação ao câncer de mama é que o tecido adiposo, ou seja, a gordura corporal, é capaz de produzir estrogênio, hormônio intimamente ligado a alguns tipos de câncer de mama. Durante a vida fértil, o hormônio tem sua produção equilibrada e é feita pelos ovários. Já na menopausa, há uma queda nos níveis do estrógeno, que param de ser produzidos nos órgãos sexuais femininos.

Porém, quando a mulher está acima do peso na menopausa, o tecido adiposo se encarrega de produzir o estrógeno, que em excesso, pode provocar a multiplicação celular do tecido mamário, causando o câncer.

Como podemos ver, a obesidade não é uma questão estética e sim de saúde. Ela é grave e causa diversos males, incluindo o desenvolvimento das doenças cardiovasculares e do câncer. Portanto, controlar o peso é fundamental para a saúde.

Além dos seus exames anuais para prevenir o câncer de mama, é importante avaliar seu índice de massa corporal e a medida da sua circunferência abdominal. O IMC ideal é de 25 a 29.9. Já a circunferência abdominal para mulheres deve ser igual ou menor que 80 cm.

 Lembre-se: Apenas 10% dos casos de câncer de mama são hereditários. A maioria está ligada aos hábitos de vida. A prevenção só depende de você!